Slow: empreendedora cria projeto para desacelerar o ritmo de vida

PorVanessa Ricarte

5 mar 2021

Nos anos 80, o jornalista Carlo Petrini fundou o Movimento Slow Food, na Itália. O símbolo da associação é um caracol que segue devagar e sempre, comendo com toda a calma do mundo. Mas o movimento não trata apenas de comer de forma mais lenta – Slow é um acrônimo para sustentável (sustainable), local (local), orgânico (organic) e completo (whole).  Entre as várias atividades relacionadas ao Slow Food encontram-se projetos voltados à educação do gosto e à aproximação de pequenos produtores com consumidores finais, por exemplo. Também é amplamente difundido o incentivo à alimentação baseada no ingrediente bom, limpo e justo – a organização criou a Universidade de Ciências Gastronômicas para entrelaçar a inovação aos saberes tradicionais em Pollenzo, na Itália.

A partir do Slow Food que o assunto desaceleração tomou corpo e cresceu. Foi a partir da pergunta “Você gostaria de desacelerar seu ritmo de vida para viver melhor?” que a empreendedora Valéria Chociai, criadora do projeto “365 Convites para Desacelerar”, aderiu ao chamado Movimento Slow, que hoje é praticado e desejado por milhares de pessoas em todo o mundo.

Ingresso ao mundo slow – A atual empreendedora se graduou em Hotelaria e se apaixonou por alta gastronomia ainda nos estágios durante a faculdade. Depois, se especializou em Administração de Restaurantes e fez cursos de Administração de Serviços pela University of British Columbia, MBA em Gestão de Pessoas pela FGV em parceria com a University of Ohio e Gerenciamento de Serviços e Segurança Alimentar pela Disney University de Orlando. Valéria trabalhou em diversos restaurantes do Brasil e do exterior e passou os últimos 15 anos como chef e gestora do La Pasta Gialla de Alphaville (SP). Durante este período, desenvolveu mais 2 paixões: viagens e desenvolvimento pessoal. Criou sua própria empresa digital com foco em elaboração de roteiros de viagens personalizados. Tornou-se coach, mentora, praticante de PNL e, principalmente, estudiosa da Slow Life. Valéria também é co-autora do livro “Metamorfoses da Maturidade” (dezembro de 2020, Editora Umanos).

Segundo Valéria, todos nós fomos nos tornando cada vez mais cansados e mais consumistas superficiais. “O chamado para rever nossos hábitos relacionados à cadeia da mesa foi expandindo para outras áreas como a da beleza (Slow Beauty), das viagens (Slow Travel), da Medicina (Slow Medicine), das finanças (Slow Money) e do urbanismo (Slow Cities) até chegar numa concepção mais ampla, que é a Slow Life, que se propõe a acomodar todas as esferas da nossa vida”, explica.

Formato inovador de acesso ao conteúdo

Formada em Psicossíntese pelo Centro de Psicossíntese de São Paulo, Valéria divulga a Slow Life e a desaceleração radical. Seu projeto, o “365 Convites para Desacelerar”, é uma jornada vivencial que acolhe pessoas que querem desacelerar por meio de um perfil fechado no Instagram.

https://www.instagram.com/365convitesparadesacelerar/

Para Valéria, o Slow Life se refere à busca cuidadosa por mais qualidade de vida e mais resultados concretos nas esferas que nos fazem sentido.

“Significa encontrar e desfrutar o real prazer de viver. Mas não é um prazer qualquer, hedonista ou desprovido de intenção. É um prazer mais maduro, em paz consigo mesmo, com o tempo e com o universo”.

Os pilares da Slow Life

Valéria considera como pilares da Slow Life:

AUTOCONHECIMENTO

Existe o mundo e existe você. Quem é você, o interno, quando se afasta e se liberta do externo? Até que ponto compreendemos o que é fruto do nosso mais profundo eu e o que é fruto do meio onde estamos inseridos, das nossas heranças familiares e da nossa simples reatividade? O antídoto para esta confusão de limites é o autoconhecimento, e se auto desbravar não é um processo simples. Não faz sentido quando feito aos poucos e nem é plausível sem auxílio de um especialista. Saber como caminhar em direção ao autoconhecimento é, em si, um dos primeiros passos do autoconhecimento.  Para Valéria, se não soubermos quem realmente somos e o que queremos, não faz sentido desacelerar. Desacelerar não é descansar de uma existência exaustiva e estressante – o repouso pode ser o primeiro passo. Desacelerar é chegar de maneira sustentável onde se quer chegar. E o autoconhecimento é fundamental para ajudar a perceber nossos próprios ritmos e fluxos, assim como as horas mais produtivas do dia, da semana e do mês. “Por quanto tempo você consegue se manter focado numa mesma tarefa, extraindo prazer dela? O que agrega contentamento às suas atividades? O que seria preciso para acrescentar um toque de deleite às ocupações chatas, mas necessárias? Tudo isso o autoconhecimento pode ajudar a responder”, afirma Valéria.

PRESENÇA

Se o Slow Life implica na retomada das rédeas da nossa própria vida, como fazer isso mecanicamente? Estar presente é o antídoto contra o “piloto automático”. Significa estar por inteiro em si próprio a cada momento da jornada. É deixar de lado as feridas do passado e a ansiedade do futuro e usufruir um instante específico. “A presença não sobrevive a uma rotina desalinhada em relação a si mesmo ou a uma agenda que prioriza a próxima tarefa numa lista infinita, irreal e indesejada. Estar presente depende de uma escolha consciente não só com relação ao quê, mas também ao porquê e ao como de cada opção. Precisamos de presença para fazer escolhas que nos permitem permanecer inteiros ao realizar o que escolhemos”, detalha.

CORAGEM

Aí você passa a se conhecer e vive belamente no presente até que percebe que tem várias coisas que gostaria de mudar. Cadê a coragem? Quando exercitada como um músculo, a coragem expande nossos horizontes e limites e nos leva além da teórica zona de conforto estabelecida pelas intenções positivas do medo. E é além que merecemos nos permitir ir para conquistar uma vida repleta de prazer e plenitude. “É necessária uma boa dose de brio para bancar valores e desejos e passar por cima das próprias desculpas e respirar fundo com os julgamentos que, com certeza, virão. E, se de qualquer forma, somos e seremos criticados, então, que sejamos julgados pelas coisas tocam nosso coração e nossa alma. A coragem é o primeiro passo para transformar teoria em prática, vontade em ação”, afirma Valéria.

AÇÃO

Ação, ação, ação – uma atrás da outra, mesmo que cada uma em seu devido tempo.

Como aderir à Slow Life?

O primeiro passo a ser dado é decidir desacelerar. É decidir trilhar um caminho próprio, mais natural e fluído. Dizer um maiúsculo BASTA ao ritmo frenético que está sendo imposto. A partir daí, Valéria Chociai diz que vários roteiros são possíveis. “Confie na sua sabedoria interior. Lá no fundo você já sabe o que gostaria de fazer para adicionar contentamento à sua história de vida. Pergunte-se quais são as 3 coisas que você efetivamente pode fazer para desacelerar e se sentir melhor durante a próxima semana, o próximo mês e, assim, sucessivamente. E, por favor, não distorça a realidade para criar entraves para suas próprias respostas”, lembra.

Cuidar com atenção da agenda é, também, uma atividade básica para desacelerar, e isso está ligado diretamente à produtividade saudável, tão necessária para o que desejamos conquistar. “Observe de que forma você usa seu tempo. Defina o que é prioridade e programe as horas de sono adequadas. Planeje diversas pequenas pausas intencionais durante as atividades do dia e, sempre que possível, inclua nelas algo que te faça rir. Realize algo gostoso de forma proposital”, indica Valéria.

É importante transformar o desejo de desacelerar em projeto de vida, afinal, a busca pelo prazer em viver não merece ficar no campo dos sonhos, e sabemos que é isso que acaba acontecendo quando não assumimos um compromisso mais efetivo com nós mesmos. Estabeleça um projeto de vida que respeite suas possibilidades, seus ritmos, seu momento. Que seja a solução. “O Slow Life é um estilo de vida, e a gente não muda do dia para a noite. Existe o que é possível fazer agora, que são pequenas mudanças superficiais, e o que a gente se programa para fazer a longo prazo, como, por exemplo, uma transição de carreira profissional. E aí tem o COMO fazer esta transição de longo prazo: vai ser no Modo Fast ou no Modo Slow?“, finaliza Valéria.

Sobre o 365 Convites para Desacelerar

O “365 Convites para Desacelerar” é uma jornada vivencial que acolhe as pessoas por meio de um perfil fechado no Instagram com o objetivo que é cada vez mais desejado por todos nós: a desaceleração. Com pagamento único, o acesso à jornada e o suporte são vitalícios (capacidade inicial para até 1.000 usuários). O projeto tem como logotipo o número 365 com o 6 transformado em caracol, símbolo do Movimento Slow.

Lançada em novembro com uma fase chamada de AQUECIMENTO, a jornada começou a ser alimentada em 01/01/2021 com 7 convites por semana, até chegar aos 365 em 31/12/2021 e as pessoas podem aderir ao programa a qualquer momento, sem perder conteúdo algum. A jornada 365 é para quem compreende que não é possível desacelerar saudavelmente num passe de mágica, segundo sua idealizadora, Valéria Chociai.

Fonte: Assessoria | Ana Paula Ruiz

Vanessa Ricarte

Editora-chefe do portal O MKT Delas! Especialista em jornalismo empresarial e institucional. Criadora e curadora de conteúdo (content marketing)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *