Conselho Regional de Odontologia de SP comprova: mulheres são a maioria no segmento

PorVanessa Ricarte

15 mar 2021
Crédito: Revista Gestão Universitária

O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) realizou um levantamento entre inscritos e identificou que as mulheres são maioria entre cirurgiões-dentistas. Hoje, elas são 62,5% desses profissionais, mas a conquista é ainda maior, pois elas também compõem 40% da diretoria da autarquia federal, enquanto em gestões anteriores não passavam de 30%.

Sandra Kalil Bussadori, presidente da Comissão de Tomadas de Contas do CROSP, acompanhou esse processo ao longo da carreira. 

“Tivemos um avanço muito significativo e relevante. Porém, desejo que as mulheres possam ter cada dia mais expressividade e reconhecimento no mercado de trabalho. Tenho orgulho de ser mulher, cirurgiã-dentista, pesquisadora, inventora e conselheira do CROSP. Sempre farei tudo que eu puder para colocar a mulher nos mais altos patamares”, afirma.

Ela não é a única em defesa do gênero nos espaços odontológicos. Com 62.454 cirurgiãs-dentistas, 24.866 auxiliares em Saúde Bucal, 3.396 técnicas em Saúde Bucal e 2.567 técnicas e 260 auxiliares em Prótese Dentária registradas no estado de São Paulo, o CROSP tem outras mulheres na direção. A especialista em Implantodontia, Renata Groke Bonetti faz parte desse time. “O mais relevante é termos mulheres de referência nesses espaços. Ainda são muito poucas as que são consideradas referências nas especialidades. Por isso, temos que mudar alguns paradigmas para alcançar isso”, declara.

A pesquisa de 2020 do International Business Report, da Grant Thornton, realizada com cerca de 5 mil empresas, em 32 países, confirma que a tendência é de crescimento da participação feminina em cargos de liderança. Em 2019, as mulheres ocupavam 25% das chefias no Brasil. O número saltou para 34% no ano passado. Essa referência gera identificação e reflete também no dia a dia das clínicas e consultórios odontológicos. “A profissão sorriu mais para as mulheres. Talvez pela complexidade e delicadeza, teoricamente da mulher, em agir numa região tão importante e tão particular das pessoas. Isso favoreceu a presença das mulheres como pacientes também. É claro que ambos profissionais, homens e mulheres, são capacitados, mas percebo que ter uma cirurgiã-dentista oferece mais conforto às pacientes. Até acredito que o lado maternal de acolhimento, preocupação e zelo seja um fator psicológico muito positivo nessa escolha”, explica a conselheira do CROSP, Cintia Rachas Ribeiro.

As mulheres são ainda 161 entre os 318 membros de Câmaras Técnicas (CTs) do CROSP, representando 50,6% dos profissionais que auxiliam e orientam a diretoria e a classe, bem como a população geral, quanto às diferentes áreas da Saúde Bucal. 15 dessas CTs são presididas por mulheres. Mas, para chegar lá, o primeiro passo é o mais importante. Sofia Takeda Uemura, presidente da Comissão de Ética, setor essencial da autarquia, fala sobre a escolha da profissão. “O curso de Odontologia é apaixonante. Nós, cirurgiões-dentistas, exercemos um trabalho muito nobre de cuidado com a saúde, o bem-estar e a autoestima das pessoas. Particularmente, nós, mulheres, temos intrinsecamente o dom do cuidar.  Então, acredito que quem tem o sonho de ser cirurgiã-dentista, naturalmente, tem também o desejo de ajudar o outro”, comenta.

História e desafios

Quando Lucy Beaman Hobbs Taylor se tornou a primeira mulher formada em Odontologia no mundo, lá em 1861, não era imaginado que o cenário da profissão se tornaria majoritariamente feminino. Os dados positivos reforçam a importância da mulher nos ambientes profissionais e como essa conquista pode alçá-las a novos desafios. “Continue sempre procurando conhecimento e se aprimorando. A Odontologia é uma profissão muito bonita, gratificante e que vale muito a pena. O CROSP estará à disposição para te ajudar e te apoiar em todos os momentos, desde a graduação até o exercício da profissão. A função essencial do nosso Conselho é disponibilizar o Código de Ética para todos os profissionais, incluindo as mulheres, orientando-as sobre nosso papel enquanto trabalhadoras da Saúde Bucal. É muito importante seguir à risca todos os preceitos éticos para um exercício correto da profissão”, incentiva Cintia.

Sobre o CRO-SP
O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) é uma autarquia federal dotada de personalidade jurídica e de direito público com a finalidade de fiscalizar e supervisionar a ética profissional em todo o Estado de São Paulo, cabendo-lhe zelar pelo perfeito desempenho ético da Odontologia e pelo prestígio e bom conceito da profissão e dos que a exercem legalmente. Hoje, o CROSP conta com mais de 145 mil profissionais inscritos. Além dos cirurgiões-dentistas, o CROSP detém competência também para fiscalizar o exercício profissional e a conduta ética dos Técnicos em Prótese Dentária, Técnicos em Saúde Bucal, Auxiliares em Saúde Bucal e Auxiliares em Prótese Dentária. Mais informações: www.crosp.org.br

Vanessa Ricarte

Editora-chefe do portal O MKT Delas! Especialista em jornalismo empresarial e institucional. Criadora e curadora de conteúdo (content marketing)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *